Poupar

5 lições sobre dinheiro que os estudantes deveriam aprender na escola

1 min

Embora os conceitos de finanças pessoais a transmitir aos mais novos dependam da sua idade e capacidade de aprendizagem, há cinco lições que devem ficar claramente controladas pelos futuros adultos

A educação financeira não é obrigatória nas escolas portuguesas. O Ministério da Educação e Ciência publicou um “Referencial de Educação Financeira”, em parceria com o Conselho Nacional de Supervisores Financeiros (Banco de Portugal, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões), mas é apenas um “documento orientador para a implementação da educação financeira em contexto educativo e formativo”. Os professores só usam o “Referencial de Educação Financeira” se considerarem necessário no quotidiano letivo.

Conheça cinco lições que devem acompanhar jovens e adolescentes:

1. Fazer um orçamento As crianças têm de compreender, progressivamente, a diferença entre um gasto necessário e o consumo supérfluo. A realização de um orçamento pessoal – mesmo que apenas mental – permite controlar as decisões de despesa ao comparar com a expectativa de recebimentos.2. O poder de capitalização É importante que, desde cedo, os mais novos percebam o que são os juros. A partir daí, o passo seguinte é compreender que os juros geram juros quando reinvestidos e que, no longo prazo, a capitalização dos rendimentos é crucial.3. A importância de pagar primeiro a si próprio Com base no poder da capitalização, os mais novos devem compreender que a primeira coisa a fazer quanto recebem dinheiro é poupar. Em vez de pagar aos outros nas operações de aquisição de bens e de serviços, devem pagar a si próprios, isto é, aforrar para o futuro.4. Usar o crédito com responsabilidade Os empréstimos são uma ferramenta poderosa nas finanças pessoais, porque permitem antecipar um consumo para o qual só se terá dinheiro no futuro. No entanto, é obrigatório criar nos mais novos a consciência dos riscos do endividamento. O exemplo em casa é meio caminho para um adulto que utiliza o financiamento com responsabilidade.5. Dinheiro com ética O dinheiro é muito importante na sociedade de hoje, mas não deve ser uma justificação para todas as ações dos seres humanos. É preciso incutir uma moderação na ganância financeira dos mais novos, de modo a não criar adultos com comportamentos pouco éticos.