Trabalho e carreira

Como despedir-se e deixar boa impressão?

3 min

Por qualquer motivo, decidiu que é o momento para sair da sua empresa. Saiba que também é possível impressionar na demissão e não fechar a porta para sempre.

Deixar as portas abertas. Esta é uma das expressões usadas quando o empregador aceitou o pedido de demissão do colaborador – de forma pacífica – ao ponto de lhe deixar as portas da empresa abertas para um eventual regresso.

Para isso, é importante que tenha em conta algumas dicas sobre a melhor forma de o fazer.

1. Antes da carta, uma conversa

A carta de demissão é a forma de oficializar um pedido de demissão, mas talvez não seja a melhor forma de a comunicar. Se quer despedir-se, a primeira coisa que deve fazer é conversar pessoalmente com o seu chefe, manager, superior hierárquico (no fundo, a pessoa a quem reporta). Uma conversa franca, com os motivos da sua saída bem explicados, e sucessivamente bem compreendidos, podem ajudar a minimizar o desconforto de um pedido de demissão. Mas também deve estar preparado para a pior reação e para a incompreensão. Mantenha-se calmo e firme. Por vezes a reação negativa é apenas momentânea e acabará por passar.

2. Carta de demissão com aviso prévio

Quando a decisão da demissão é do colaborador e não implica uma justa causa, é preciso formalizar a intenção de terminar o contrato de trabalho através de uma carta de demissão com aviso prévio, que deve ser enviada à entidade empregadora, por correio registado com aviso de receção, dentro dos prazos legais.  Contratos de trabalho sem termo: 30 dias de aviso prévio para contratos com menos de 2 anos; 60 dias de aviso prévio para contratos com mais de 2 anos;Contratos de trabalho a termo incerto: 15 dias de aviso prévio para contratos com menos de 6 meses; 30 dias de aviso prévio para contratos entre 6 meses e 2 anos; 60 dias de aviso prévio para contratos com mais de 2 anos.

Se não cumprir os prazos arrisca ter de pagar uma indemnização ao seu empregador.

3. Como escrever uma carta de demissão?

Há uma dimensão formal que deve constar num documento deste tipo: - Dados pessoais do colaborador – nome e morada completos; - Dados da entidade empregadora – nome e morada completos; - Identificação da pessoa ou departamento da empresa a quem se dirige; - Assunto claro: “Rescisão de Contrato”; - Informação clara sobre o pedido de demissão e os motivos que o sustentam; - Informação sobre o cumprimento do aviso prévio e com quantos dias de antecedência; - Pedido de apuramento relativamente aos vencimentos; - Pedido de apuramento relativamente a subsídios de férias e de Natal em proporção à prestação de trabalho durante o corrente ano; - Informação sobre o número de dias de férias não gozadas e qual a sua intenção. Pedir a compensação ou gozá-las ainda antes de deixar a empresa; - Assinatura e nome do colaborador.

E há (ainda) uma dimensão pessoal da carta de demissão: - Esta carta quer-se curta, simples, clara e cordial, mas isso não significa que não tenha um cunho pessoal. - Se a demissão for bem recebida e percebida pelo empregador, por que não deixar um parágrafo final de agradecimento em relação às oportunidades que lhe deram, ao quanto aprendeu e o que leva dali como ensinamento para a sua carreira? Pense nisso.

E lembre-se: o mais importante é que seja profissional sem nunca perder de vista a sua personalidade. São as duas coisas juntas que tornam cada colaborador uma pessoa única, mesmo na hora de apresentar a demissão.

Boa sorte.