Crédito

Pediu crédito e foi recusado? Perceba porquê.

2 min

Saiba quais os motivos para receber um “não” quando pediu o crédito e como proceder.

Em primeiro lugar, há que lembrar: emprestar dinheiro é um negócio. E, tal como quando compra umas calças, a marca onde o faz tem lucro, bancos e financeiras também quando lhe emprestam dinheiro. Senão, não existiam. Depois, é uma questão de risco: avaliam o perfil da pessoa – ou conjunto de pessoas – que estão a pedir o empréstimo, mediante uma série de critérios, e decide se vai emprestar e em que condições. Conheça os principais motivos para uma recusa a um pedido de crédito.

  • Ser mau pagador

Este é o maior e principal motivo para lhe recusarem um crédito. Quando pede um empréstimo, o banco vai sempre informar-se sobre o seu historial: se tem outros créditos, se atrasou ou falhou o pagamento de alguma prestação, está numa situação de incumprimento ou – pior – se o seu nome consta da lista negra do Banco de Portugal. Perante esta situação não há nada a fazer: mesmo que tenha um emprego estável, vários titulares a pedir o empréstimo, fiadores ou garantias. Lembre-se que os bancos partilham informação entre si e, mesmo que esteja a fazer o pedido a uma instituição diferente das habituais, vão sempre saber qual a sua situação financeira.

  • Instabilidade profissional

Ter trabalho ou estar a fazer um estágio não é suficiente para um banco lhe conceder um empréstimo ou ter acesso a um cartão de crédito. As instituições financeiras valorizam factores de estabilidade como estar efetivo na empresa, há vários anos e ter um bom salário.

  • Idade

É um dos motivos mais comuns para a recusa de crédito e a explicação é simples: se for demasiado velho, já não vai ter tempo de vida útil para pagar todo o empréstimo; se for demasiado novo ainda não tem maturidade nem estabilidade profissional para assumir uma responsabilidade tão grande. A maior parte dos bancos considera demasiado jovem abaixo dos 25 anos e, a partir dos 45, as condições de concessão de crédito são agravadas, com juros mais altos e prazos de pagamento mais curtos. A partir dos 65 anos, poderá precisar de ter um segundo titular no empréstimo e, depois dos 75, dificilmente conseguirá o crédito.

  • Taxa de esforço demasiado alta

A taxa de esforço é o indicador utilizado pelos bancos para medir o peso dos empréstimos nos seus rendimentos. Por norma, não deve ser superior a 40%. Ou seja, se o seu rendimento líquido for 1000 euros, a soma das prestações de crédito não deve ultrapassar 400 euros.

  • Número de titulares

Regra geral, é muito difícil conseguir reunir todas as condições para pedir um empréstimo: bom salário, trabalho estável, idade ideal, historial bancário perfeito e taxa de esforço mínima. Por isso, uma forma de evitar uma recusa poderá ser pedir o empréstimo com outra pessoa – por exemplo, o casal pedir, em conjunto, um crédito habitação.

Se tiver uma recusa, não desanime. Procure outros bancos e instituições financeiras e tente negociar. Certamente terá vantagens no seu perfil que compensam as falhas.