Crédito

Qual o peso máximo que os créditos devem ter no meu orçamento

1 min

A taxa de esforço é o principal indicador utilizado pelas instituições financeiras para avaliar a capacidade de contrair um empréstimo.

Pedir um empréstimo para comprar uma casa, um carro, pagar os estudos ou para outra finalidade requer que se sigam alguns procedimentos em termos de avaliação da sua situação financeira. É que, se à partida até pode parecer que tem capacidade financeira para suportar mais um empréstimo, na realidade poderá já estar no limite daquilo que é considerado o valor máximo de prestações de empréstimos que deverá suportar.

As próprias instituições financeiras fazem essa avaliação quando pede um empréstimo. O indicador utilizado para medir a sua capacidade de contrair empréstimos é a taxa de esforço. Esta vai medir o peso dos empréstimos que já tem no seu rendimento mensal. Conhecer este indicador é importante para compreender a razão pela qual muitas vezes alguns empréstimos não são aprovados.

Em termos financeiros, a taxa de esforço não deve ultrapassar os 40%. Isto significa que a totalidade das prestações dos empréstimos não deve ultrapassar 40% dos seus rendimentos. Por exemplo, para uma pessoa que ganhe 1000 euros quer dizer que a soma das prestações não deve ultrapassar os 400 euros. Respeitando esta meta significa que terá 60% dos rendimentos para todas as outras despesas.

A maioria das instituições não concede empréstimos a quem apresenta uma taxa de esforço acima deste valor.

Caso a sua taxa de esforço tenha ultrapassado este limite, o ideal é procurar reduzir o peso das suas prestações, de modo a que consiga ter margem para as restantes despesas. Uma pessoa com uma taxa de esforço muito elevada poderá ter dificuldade em pagar as suas despesas e, perante uma situação inesperada, entrar numa situação de incumprimento ou mesmo sobre-endividamento.

 

Artigos relacionados: