Poupar

Tudo o que é preciso para um bom regresso às aulas

5 min

Sabe o que necessita para um regresso às aulas equilibrado e feliz, e sem gastar muito dinheiro? Nós damos-lhe algumas dicas.

Data de publicação 2021 M08 24

Com o arranque de mais um ano letivo é necessário organizar o regresso às aulas e isso inclui recuperar hábitos de sono e de alimentação - que durante as férias podem não ser tão rigorosos - bem como preparar e comprar manuais escolares, material de papelaria e não só. Naturalmente acaba por ser uma altura de algum stress e de maior pressão sobre o orçamento das famílias. Mas há alguns aspetos simples que, se os adotar, conseguirá um melhor e mais tranquilo regresso às aulas.

Antes de mais, é fundamental que não gaste mais do que o devido e que as suas possibilidades permitem. Para tal, há algumas dicas de poupança a ter em conta:

  1. Veja o material que sobrou de anos anteriores e se encontra em bom estado para poder ser reutilizado
  2. Faça uma lista do que realmente vai precisar de comprar e defina um orçamento
  3. Espere pelo início das aulas e conheça a lista de material, para não comprar a mais. Saiba também que há algumas Juntas de Freguesia que oferecem conjuntos de material escolar neste regresso  
  4. Compare preços de lojas e livrarias, físicas e online, e aproveite as campanhas promocionais de regresso às aulas
  5. Se os seus filhos estudam no ensino público, não se esqueça que têm direito a vouchers para manuais gratuitos. Informe-se junto do seu agrupamento escolar e aproveite os apoios disponíveis. Se tem de comprar manuais escolares, antes de o fazer pergunte a amigos e familiares se não têm esses livros. Outra hipótese é procurar grupos de trocas de manuais escolares
  6. Tente resistir à tentação de comprar a mochila dos desenhos animados do momento, porque provavelmente terá menos qualidade e será menos resistente, além de passar de moda em pouco tempo. Uma mochila de uma marca de desporto, por exemplo, é normalmente mais resistente e duradoura 
  7. Peça fatura de tudo. Na declaração de IRS, as Finanças consideram 30% das despesas de educação, até ao limite máximo de 800 euros. Não se esqueça que, se comprar livros num supermercado, deve pedir fatura em separado das restantes compras e com o número de contribuinte dos seus filhos. A compra de manuais escolares passa também a contar para o programa IVAucher, com o valor do imposto a poder ser utilizado, mais tarde, na restauração, alojamento e cultura. Os encarregados de educação passam assim a ter um duplo benefício fiscal

Recupere regras para tempo de ecrãs 

Comprado o material escolar, é chegado o momento de recuperar rotinas que por vezes são descuradas durante as férias, mas fundamentais para o tempo escolar. Em primeiro lugar defina, ou redefina, limites para a utilização de telemóveis, tablets e televisão.

Por exemplo, para crianças entre os três e os quatro anos, a Organização Mundial de Saúde recomenda que o tempo diário de ecrãs não ultrapasse uma hora. Já a Associação Americana de Pediatria alarga esta recomendação até aos cinco anos e sublinha que o tempo de ecrã não deve ser um tempo sozinho, devendo existir acompanhamento de um adulto na visualização dos conteúdos, que ajude a criança a interpretar o que vê.

Além disto, estabeleça algumas regras que vão ser fundamentais para melhorar a qualidade de sono dos seus filhos e a qualidade do tempo passado em família, nomeadamente:

  • Defina uma hora de deitar que permite aos seus filhos dormir entre 8 horas, no caso dos adolescentes, e 12 horas, no caso dos mais novos
  • Proíba o telemóvel no quarto durante o sono - um telemóvel a apitar com notificações comprometerá seriamente a qualidade de sono dos seus filhos
  • Defina o tempo diário de utilização de ecrãs, locais e momentos screen free, como as refeições

Bons hábitos de sono e de alimentação

Igualmente importante é aproveitar a semana anterior ao arranque das aulas para progressivamente antecipar a hora de deitar das crianças. Se estão habituados a não ter hora para deitar durante as férias, vai ser missão impossível mudar isso na véspera. Opte por ‘ganhar’ 30 minutos em cada dia e verá que assim evita birras e stress desnecessário.

A mesma coisa se aplica à alimentação. Em tempo de aulas as refeições têm horários mais rigorosos do que nas férias, por isso, na semana que antecede, é uma boa solução fazer com as refeições o mesmo que com o sono, de forma a ir recuperando as rotinas e a ter tempo, por exemplo, para um pequeno-almoço rico e nutritivo, fundamental para que as crianças consigam estar atentas às aulas.

E já agora, quando se aproximarem os primeiros testes ou exames, sabia que pode ajudar o seu filho a concentrar-se com a escolha de certos alimentos? Aposte, particularmente nos que são ricos em ómega-3, como o salmão, o atum ou o carapau e os frutos secos, mas também outros alimentos como os espinafres, os ovos, os morangos e até o chocolate negro.

Faça um check-up de saúde 

Para muitos pediatras esta é uma altura em que aconselham uma consulta, para que possam fazer uma revisão, aconselhar um suplemento vitamínico - na esperança de evitar as famosas viroses escolares - e até uma desparasitação, já que muitas vezes as praias são responsáveis por infeções com parasitas.

Além disto, se por acaso não tem um seguro de saúde para o seu filho ou não o têm incluído no seu seguro de saúde, este é um bom momento para o fazer, acautelando qualquer doença ou acidente escolar.

Por último, aproveite os dias antes do começo das aulas - e que normalmente coincide com os dias antes da rentrée laboral - para passar tempo com os seus filhos. Tempo de qualidade, sem o stress do “vai estudar” ou do “lavar os dentes e cama”.