Dinheiro

Tem 50 mil euros no banco? O Fisco vai poder aceder à sua conta.

1 min

O Fisco vai mesmo ser informado sobre titulares que tenham saldos acima de 50 mil euros num banco.

Está aprovada a nova lei que prevê o levantamento do sigilo bancário para quem tiver mais de 50 mil euros no banco. Cinco respostas essenciais para ficar a saber como vai funcionar.

Quem é abrangido? Todos os contribuintes, residentes em território nacional, que tiverem mais de 50 mil euros depositados num banco, ainda que em contas diferentes.

Qual é o procedimento? Os bancos vão passar a enviar para o Fisco a informação do saldo da conta bancária, ou de várias contas bancárias, de que o contribuinte for titular na instituição financeira, cujo valor total exceda os 50 mil euros.

Que informação é que os bancos enviam e quando? As instituições financeiras devem comunicar, até 31 de julho de cada ano, os saldos das contas bancárias de um titular referentes à data de 31 de dezembro do ano civil anterior. Note que os bancos enviam apenas os saldos e não os movimentos detalhados das contas bancárias.

E o que faz o Fisco com a informação? A Autoridade Tributária e Aduaneira analisa a informação do contribuinte e cruza os dados com outra informação relevante de que possa eventualmente dispor. Se tiver dúvidas e decidir avançar para uma inspeção, pede então o levantamento total do sigilo bancário ao banco, que dará acesso à informação completa e movimentos das contas bancárias.

Quando entra em vigor? A nova lei foi aprovada em 11 de janeiro, no Parlamento, e terá agora de ser ratificada pelo Presidente da República. Não havendo objeções, prevê-se que o Fisco receba já informações relativas a 2017 e 2018 relativa aos contribuintes com poupanças no banco acima de 50 mil euros.