Investimentos

Saiba quanto tem de poupar para a reforma

1 min

A OCDE estima que as pessoas com rendimentos mais altos possam vir a perder 40% dos seus rendimentos mensais quando se reformarem.

Com a incerteza sobre a sustentabilidade da Segurança Social planear a reforma é cada vez mais uma preocupação das famílias. A idade dourada é um período de vida em que é ideal para aproveitar melhor o tempo, fazer as coisas que gosta, sem perder qualidade de vida. Para que assim seja, é fundamental que consiga garantir a sua independência financeira que passa, em primeiro lugar por não perder poder de compra, nem rendimento.

Com as alterações do cálculo das pensões, na sequência do envelhecimento da população, é muito provável que quem se reforme daqui a 15, 20, 30 ou mais anos não vá usufruir dos mesmos montantes de pensões actuais.

O último estudo sobre pensões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) estima que, em 2050, a idade da reforma seja de 67 anos, sendo que quem pertence aos escalões mais altos poderá ver o seu rendimento ser reduzido em 40% quando chegar a idade da reforma. Esta avaliação demonstra a necessidade de se planear a reforma, com a constituição de complementos que permitam não perder rendimento.

Quanto mais cedo começar a poupar para a reforma, menor será o esforço que terá de fazer em termos de poupança mensal. Sendo o que o ideal é aplicar esse dinheiro num produto, adequado ao seu perfil de risco, que lhe garanta algum retorno.

Para estimar qual será o valor da sua pensão, quando se reformar, e quanto tem que poupar para compensar a perda de rendimentos, poderá consultar o simulador “a minha pensão”, do Instituto BBVA de Pensões. Apesar do simulador indicar qual deve ser o seu perfil de risco, trata-se apenas de uma sugestão.

O importante é perceber como garantir que conseguirá entrar na idade dourada sem problemas financeiros.