Poupar

Saiba o que reutilizar para combater o desperdício e poupar dinheiro

3 min

Pare e analise o seu dia-a-dia. Vai chegar à conclusão que há hábitos que podem ser mudados em benefício do planeta e do seu orçamento.

Vivemos numa sociedade descartável e estamos a assumir posturas e comportamentos que demonstram isso mesmo. Limpamos as mãos em guardanapos de papel, num único uso, deitando de imediato para o lixo. Atualizamos os computadores e os telemóveis com frequência e muitos de nós até mudam o guarda-roupa inteiro a cada estação.

Todas estas decisões saem caras. Para nós e para o meio ambiente. Comprando menos e reutilizando mais, reduziríamos o uso de energia e de recursos naturais. Ao escolher reutilizar, contribuímos para um mundo mais verde e barato. E há muitas maneiras de reutilizarmos uma parte daquilo que consumimos. Saiba quais são.

1. Opte por um saco de compras reutilizável no supermercado

Evite ao máximo estar sempre a comprar sacos de plástico. Estes sacos exigem mais de 8 mil barris de petróleo para a fabricação e apenas cerca de 5% são reciclados. Em Portugal, foi definido, em 2014, iniciar a cobrança de 10 cêntimos por cada saco para promover a utilização de sacos reutilizáveis.  

2. Compre em segunda mão

São muitas as lojas físicas e online que vendem roupa e calçado em segunda mão. É mais barato e é possível encontrar artigos praticamente novos. Quem fala em roupa, fala em livros, bijuteria, filmes, móveis, quadros e, até, peças de arte. Pode também dar novos usos a vários objectos do dia-a-dia.

3. Utilize a mesma garrafa de água

Beber água engarrafada pode sair caro e é, na maioria dos países industrializados, desnecessário, uma vez que a água do sistema público de abastecimento é potável e de boa qualidade. Em vez de comprar diariamente uma garrafa de água, pode encher umas quantas vezes a mesma garrafa. Pode, também, optar por garrafas térmicas.

4. Utilize guardanapos de pano em vez de papel

Práticos, laváveis e fáceis de utilizar. Além disso, não sabe o dinheiro que poupa. Uma família de quatro pessoas que utiliza um guardanapo em cada refeição iria utilizar e descartar 4.300 guardanapos durante um ano. Já fez as contas ao dinheiro que gasta? Essa mesma família poderia comprar uma dúzia de guardanapos de pano e utilizá-los durante anos.

5. Evite utilizar pratos e talheres de plástico

França é o primeiro pais a proibir a venda de pratos e de talheres descartáveis pelo mal que o seu fabrico faz ao ambiente e pelo custos que isso acarreta. Evite ao máximo utilizá-los. Se faz a sua refeição no emprego, leve uma caixa de vidro e coma daí diretamente, ou leve um conjunto de prato, talheres e copos.

6. Aproveite a comida e não a deite fora

Se vai muitas vezes comer fora, não tenha vergonha de pedir para levar os restos para casa. Assim, não desperdiça comida. Mas não se esqueça de levar a sua própria caixa reutilizável. Em casa, evite o desperdício e invente refeições com as sobras do dia anterior.

7. Tente reparar o que se partiu ou estragou

Quando algo em sua casa se parte ou estraga não tenha como primeiro impulso deitar fora e comprar de novo. Veja se tem arranjo. Até pode descobrir novas utilizações para esse objeto. A lista de coisas que pode reparar ou reutilizar é extensa: um carro, um computador, um telemóvel, uma mobília ou, mesmo, roupa ou sapatos. Como afirmou Lavoisier, “na vida nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

8. Troque mercadoria

Trocar bens é ainda mais vantajoso do que fazer compras de bens em segunda mão. Livra-se daquilo que não quer e ajuda outra pessoa a livrar-se daquilo que já não usa, mas que lhe pode ser útil, sem precisar de utilizar dinheiro. Se fizer uma pesquisa na Internet, encontra certamente onde o fazer.

9. Aposte na reciclagem

Promova o hábito de reciclar o que não é reutilizável como embalagens, plásticos, tinteiros e pilhas. Porém, existem no mercado pilhas recarregáveis. Se possível, utilize-as.

10. Partilhe com vizinhos, família e amigos

Se gosta de ler e conhece quem também tem esta paixão, pode optar por partilhar com os livros em vez de os comprar. O mesmo pode fazer com discos e com eletrodomésticos que não usa diariamente como um aspirador, por exemplo. Se tiver uma boa relação com a sua vizinha pode partilhá-lo. Pode, também, partilhar viagens com outras pessoas no mesmo carro. Já há empresas que fornecem esses serviços. É a chamada economia partilhada.