Poupar

Quatro cuidados a ter quando se contrata um seguro de saúde

2 min

Muitos consumidores não confiam em pleno no sistema nacional de saúde. Tempos de espera longos, taxas moderadoras a crescer e falta de especialidades são razões para procurarem soluções privadas.

Data de publicação 2015 M10 20

Para controlarem os custos das despesas, os seguros de saúde são uma solução cada vez mais popular. Em 2013, 3,5% das despesas de saúde foram pagas por seguros privados, enquanto, em 2004, apenas 2,1% tinham sido financiados por este sistema.

Antes de decidir contratar um seguro de saúde, há quatro perguntas que deve responder. Descubra-as.

1. Qual o preço?
O prémio – o preço a pagar pelo seguro – é a principal razão apontada para não contratar um seguro de saúde, de acordo com um inquérito da Entidade Reguladora da Saúde.
Saiba exatamente quanto está disposto a gastar pela proteção da sua família. Em 2013, o prémio anual médio foi de 246 euros por pessoa. No entanto, um casal de 35 anos com um filho de cinco anos pode gastar entre 279 euros e 2.636 euros por ano num plano com hospitalização, ambulatório e estomatologia, de acordo com a Deco Proteste.

2. Quanto vou pagar?
Mesmo tendo seguro de saúde, poderá ter de pagar pelos cuidados de saúde. Regra geral, as companhias de seguros obrigam os seguradores a pagar os primeiros euros. É preciso saber qual a percentagem do reembolso da seguradora (comparticipação), o valor a pagar pelo 
segurado  em  caso  de  sinistro  (franquia)  e  o  valor  concreto  para  cada  despesa  de saúde a  cargo  do  segurado no  ato  médico (copagamento).

3. Qual a cobertura?
É preciso decidir que riscos quer cobrir. Precisa de dentista frequentemente? Quer incluir parto? E saúde mental? As seguradoras têm planos desenhados “a priori”, mas é possível negociar as inclusões e as exclusões. Naturalmente, uma maior cobertura representa uma despesa superior para a família.
As exclusões são a maior razão de insatisfação dos detentores de seguros de saúde, de acordo com a Entidade Reguladora da Saúde.

4. Que médicos e hospitais estão abrangidos?
Normalmente, os seguros estão associados a uma rede de prestadores de cuidados de saúde. Quando os atos médicos são efetuados dentro dessa rede, os custos tendem a ser mais baixos. AdvanceCare, Médis e MultiCare são as  principais entidades administradoras de prestadores convencionados em Portugal. É possível procurar pelo nome do médico ou do estabelecimento nestes portais. Cada uma delas tem mais de 700 estabelecimentos convencionados.

Há muitas seguradoras a propor seguros de saúde aos portugueses. As idades dos segurados, além das inclusões e das exclusões, são o fator mais crítico para decidirem o prémio. Para garantir que não paga em excesso, convém visitar várias companhias. Comece pelas maiores: Fidelidade, Ocidental Seguros, Allianz e Tranquilidade.

Já são mais de dois milhões de portugueses que contam com a cobertura de seguros de saúde. A maioria dos seguros é negociado em grupo. Talvez o seu empregador possa ajudar.

Recibos Verdes e Trabalhadores Independentes

Para saber como funcionam os recibos verdes, quais as suas novas regras, ou todas as características de um regime de trabalhador independente, consulte os artigos desta página.

Está a trabalhar a recibos verdes? Conheça os seus direitos

Impostos

Está a trabalhar a recibos verdes? Conheça os seus direitos

2 min
Vantagens e desvantagens do regime simplificado e contabilidade organizada

Impostos

Vantagens e desvantagens do regime simplificado e contabilidade organizada

2 min
O IVA nos recibos verdes

Impostos

O IVA nos recibos verdes

4 min
Segurança Social de Trabalhadores Independentes: contribuições e isenções

Impostos

Segurança Social de Trabalhadores Independentes: contribuições e isenções

1 min
Trabalhador a recibos verdes: como conseguir crédito?

Crédito

Trabalhador a recibos verdes: como conseguir crédito?

1 min