Investir

Quanto devo poupar para um fundo de emergência

2 min

Para prevenir situações imprevistas o ideal é ter algum dinheiro de parte. Saiba qual o montante ideal que deve ter no seu fundo de emergência.

Os imprevistos acontecem e é importante que esteja preparado. Uma doença, um acidente, mesmo uma situação de desemprego podem representar um grande problema para muitas famílias, sobretudo para aquelas que não têm qualquer pé-de-meia.

Infelizmente, é só nestas alturas que algumas pessoas se apercebem quanto poderiam ter poupado com todos aqueles pequenos gastos que não controlaram, como almoços e jantares, cinemas, roupas, prendas, viagens, aparelhos, entre muitos outros que, se calhar, não eram exatamente uma prioridade.

O desemprego, divórcio, morte de um dos elementos de um casal, doença ou incapacidade física são as principais causas de sobre-endividamento de muitas famílias. O que vem demonstrar que não estavam preparadas para imprevistos. Claro que não é possível prever algumas destas situações mas é possível prevenir.

Por essa razão, pretende-se que perceba a importância de ter dinheiro de lado para algum imprevisto. Por exemplo, se ficasse neste momento de baixa, durante quanto tempo conseguiria suportar as suas despesas mensais, mantendo o mesmo estilo de vida? Pegue na calculadora e faça as contas. Se, por algum acaso, deixasse de trabalhar, ou seja, não recebesse o seu salário na totalidade e atendendo ao facto de ter 1.000 euros mensais de despesas, quantos meses é que conseguiria sobreviver mantendo o estilo de vida. Se tiver 2.000 euros de parte sabe que tem uma folga de dois meses. Mas se não tiver qualquer poupança as dificuldades serão, muito provavelmente, imediatas.

Para prevenir situações como esta, nesta fase inicial aponte como objetivo ter numa conta à parte dinheiro suficiente para cobrir pelo menos três meses de despesas mensais. Assim terá de lado o dinheiro suficiente para sobreviver um trimestre como se nada se tivesse passado.

E se está a perguntar como conseguirá fazer isso, a resposta está na poupança mensal. O importante é começar. Desta forma, se tem 500 euros de despesas fixas todos os meses, deverá ter de parte pelo menos 1.500. Se estamos a falar de 1.000 euros de contas mensalmente, temos de apontar como objetivo ter, no mínimo 3.000 euros de poupança. Claro que, se conseguíssemos poupar o suficiente para fazer face a um ano de despesas seria ótimo. No entanto, deve ir com calma, traçar pequenas metas e ir conquistando-as, uma a uma.

Se já deu ordem automática para transferir 5% a 10% do seu rendimento, está no bom caminho. Num instante irá ter o seu pequeno orçamento contra imprevistos e o objetivo inicial é chegarmos a um mês inteiro de despesas garantido, de lado, no banco.

Se apenas consegue um pequeno montante, não desanime. O importante é que comece a poupar, por muito pouco que possa parecer, mais cedo ou mais tarde o objetivo será atingido.

 

Artigos relacionados: