Trabalho e carreira

Nas tecnologias de informação é mais fácil encontrar emprego

1 min

Saúde, tecnologias e marketing digital são das áreas em que há mais recrutamento. Mas Portugal não está a formar profissionais suficientes para as necessidades. Saiba quais são as oportunidades.

A saúde e a tecnologia são as áreas onde se criam mais postos de trabalho em Portugal, de acordo com uma análise do Manpower Group. Porém, as tecnologias de informação são praticamente a exceção no panorama nacional. É uma realidade de quase pleno emprego, segundo estudos realizados pela empresa de consultoria de recrutamento Michael Page, e que dão conta de que as necessidades de recrutamento ultrapassam o número de profissionais disponíveis, sobretudo nas áreas de big data, realidade virtual, cibersegurança e Internet das coisas.

Dados da Egor apontam no mesmo sentido. Há uma procura elevada por profissionais qualificados de tecnologias da informação e o problema é que Portugal não está a formar as pessoas suficientes para as necessidades do mercado. Há tanta dificuldade em recrutar, como em fixar estes profissionais. E a explicação é simples: são candidatos muito voláteis, que procuram novos desafios e mudam com frequência de emprego.

Outros profissionais muito requisitados são aqueles que dispõem de uma especialização em marketing digital. As empresas enfrentam dificuldades em encontrar quem tenha perfis para cargos como o de head of e-Commerce, account managers e presales, com domínio de algumas tecnologias específicas, em que se incluem as de information management, business inteligence, data quality e big data, CRM e business analyst com domínio de SAS.

Também a área das finanças necessita cada vez de mais de quadros qualificados: a oferta também é superior à procura. A Michael Page tem dificuldade em encontrar pessoas com perfil para shared service centers, com fluência em holandês, alemão, francês, italiano e grego. A empresa recebe, também, muitos pedidos para encontrar pessoas que saibam falar cantonês e mandarim.

No caso das engenharias, as empresas que prestam serviços de recrutamento dizem que é particularmente complicado encontrar perfis técnicos e especializados na vertente industrial, sobretudo especialistas na indústria automóvel, aeronáutica e alimentar. Já no sector da logística, há procura por pessoas com perfil de national account manager, sobretudo na área de carga marítima.