Investir

Já ouviu falar em empréstimos coletivos?

6 min

O 'Crowdlending' é uma recente tendência de empréstimos coletivos nos EUA e na Europa, que vale atualmente mais de 13 mil milhões de euros. Descubra como funciona em Portugal.

Tem algum dinheiro para investir, mas não sabe onde nem como? Talvez encontre neste artigo uma alternativa aos clássicos depósitos a prazo ou os certificados de aforro - que atualmente rendem praticamente zero -, e à especulação dos produtos que apresentam riscos consideráveis.

Já ouviu falar em ‘peer to peer’ ou P2P? Esta nova forma de financiamento participativo foi criada em 2005, por uma plataforma inglesa chamada Zopa. Na origem do P2P esteve a dificuldade no acesso ao crédito por parte das pequenas e médias empresas (PME). A necessidade das empresas procurarem novas formas de angariar fundos acabou por abrir caminho para novos investimentos, O P2P trata-se, basicamente, de um empréstimo realizado entre particulares, sem a intervenção de um banco, o que permite eliminar a burocracia e os procedimentos comuns das instituições financeiras.

A principal diferença entre o peer-to-peer e os empréstimos pelos bancos é que estes oferecem taxas de juros altas para os tomadores de empréstimo e taxas de rentabilidade demasiado baixas para os investidores, ficando com a margem para si. O P2P vem mudar este cenário, oferecendo vantagens para ambas as partes. O investidor ganha dinheiro, enquanto o empresário pode conseguir o montante total de que precisa para colocar o seu negócio em funcionamento reunindo investimentos de várias pessoas diferentes.

Como funciona? Os investidores decidem quanto querem emprestar e qual a taxa de juro a aplicar. É acordado um prazo para o pagamento da dívida, que será paga mensalmente pela empresa aos credores.

O que ganha o investidor? Mensalmente, receberá parte o capital que investiu, mais o juro correspondente, que será sempre superior às taxas praticadas pelos bancos nos depósitos a prazo.

Como investir, na prática? Existem diversas plataformas online que agregam os potenciais investidores e as empresas à procura de um investimento. A Lending Club, o Funding Circle e a Zopa são as maiores plataformas mundiais de empréstimos coletivos. Em Portugal, a primeira plataforma a surgir no mercado chama-se Raize e nasceu em 2015.

Curioso? Explicamos-lhe como funciona e apresentamos-lhe a Raize e também a Portugal Crowd, duas plataformas portuguesas. 

RAIZE

Permite aos investidores ganharem dinheiro ajudando as empresas nacionais. A Raize funciona como uma bolsa de empréstimos particulares a empresas e conta já com cerca de 12 mil investidores.

Como investir através da Raize? Deve fazer o registo online, carregar a conta e escolher as empresas a quem quer emprestar dinheiro.

Quanto investir? Pode investir entre 20 e 2495 euros por cada empresa/empréstimo.

Quanto pode ganhar? Para ter uma ideia, nos empréstimos já concedidos, a taxa de juro média situa-se nos 7,3%.

Que outras vantagens existem? Ao emprestar dinheiro a pequenas e médias empresas, está a financiar o motor da economia e a promover a criação de emprego. É gratuito para quem investe, e todo o processo é simples e rápido.

Qual a comissão da plataforma? É cobrada a quem investe uma comissão única de 3%, o que representa um valor inferior ao cobrado pelos bancos.

As empresas são de confiança? Só podem usufruir deste serviço de financiamento empresas com mais de dois anos, com sede fiscal em Portugal, com capital positivo e sem dívidas ao Estado. Na plataforma as empresas são classificadas de acordo com o seu perfil de A a C, sendo A a letra de rating mais segura e C a menos segura. Esta classificação vai ser determinante na fixação da taxa de juro a aplicar.  

Qual o principal risco? O principal risco do investimento peer-to-peer tem a ver com o não pagamento do empréstimo por parte da empresa. Mas o risco pode ser minimizado se utilizar as ferramentas disponibilizadas pela plataforma, toda a informação sobre a empresa, o respetivo grau de segurança, e se diversificar o investimento. A diversificação é uma excelente forma de reduzir o risco deste tipo de investimento. Se dividir o valor que quer investir por diversas empresas estará a aumentar as possibilidades de sucesso do seu investimento. Este é um truque utilizado pelos investidores de sucesso.

Como funciona em termos fiscais? Todos os juros recebidos através da plataforma estão sujeitos a retenção liberatória à taxa de 28% na altura em que são auferidos. Ou seja, todos os meses são retidos na fonte os impostos devidos pelo investidor, o que significa que o investidor recebe mensalmente juros líquidos de impostos. Aos residentes da Região Autónoma dos Açores é aplicável o regime especial em vigor. O regime da retenção liberatória dispensa o investidor de qualquer obrigação declarativa no final do ano. Se optar por englobar estes rendimentos no final do ano, deverá comunicar esse pedido à Raize nos prazos legalmente estabelecidos para que lhe seja entregue toda a documentação necessária.

Se ainda tem dúvidas ou quer saber mais pormenores, pode encontrar aqui uma boa ajuda.

PORTUGAL CROWD

É a primeira plataforma nacional de empréstimos coletivos imobiliários e apresenta-se como “A casa dos seus investimentos. E dos sonhos de alguém.” Pessoas investem em casas para pessoas, com a vantagem de ficarem todos a ganhar.

Qual o papel da plataforma? Criar uma ponte entre pessoas que querem conceder empréstimos e pessoas que procuram obter empréstimos. E tornar possível que vários investidores contribuam para um único empréstimo com garantia real, promovendo a rentabilização das suas poupanças e o projeto de alguém.

Como funciona? Os proprietários colocam a oportunidade de investimento com garantia real de um imóvel, na plataforma Portugal Crowd. Vários investidores contribuem, desde 50€, e são remunerados mensalmente de acordo com taxa e prazo acordado.

Como escolher um imóvel? Através da plataforma, onde estão registados vários imóveis para financiamento, todos eles livres de ónus.  

Quanto pode ganhar? Há uma rentabilidade preestabelecida para cada oportunidade, com TANBs compreendidas entre 6% e 9%. As prestações são pagas mensalmente.

Como é salvaguardado o empréstimo? Através de uma hipoteca sobre o imóvel. A casa é dada como garantia para o cumprimento do empréstimo.

Quanto pode investir? Cada oportunidade tem um intervalo de investimento por pessoa de 50 euros (mínimo) e 2.499 euros (máximo).

Como funciona em termos fiscais? Todos os juros auferidos em função do cumprimento de qualquer Contrato de Mútuo celebrado através da Plataforma estão sujeitos a retenção liberatória à taxa legal em vigor, retenção cuja responsabilidade cabe aos Promotores/Proprietários, que ficam com a obrigação de, mensalmente, proceder à retenção na fonte dos impostos devidos pelo Investidor, o que significa que o Investidor receberá mensalmente uma prestação correspondente a juros e já líquidos de impostos.

E para quem pede dinheiro? Esta plataforma pode ser também uma fonte eficaz e alternativa de financiamento. Os interessados devem enviar um email com um pedido de análise, que será gratuita e sem compromisso. Em 48 horas terão uma resposta. Caso esta seja positiva, poderão assim obter um empréstimo de vários investidores, ficando a pagar a prestação mensalmente. 

Os investimentos coletivos são mais do que uma mera tendência. São uma realidade, inclusivamente em Portugal. Ficou a conhecer duas alternativas de investimento, nacionais, que oferecem vantagens para ambas as partes. A partir de agora, é consigo.