Dinheiro

Impulsos que o fazem gastar dinheiro

1 min

Conheça alguns dos fatores mais comuns que influenciam as compras

Há impulsos naturais que influenciam comportamentos de compra. Hoje o nosso objetivo é que os conheça e que reflita sobre eles, precisamente para aprender a lidar com estes impulsos da próxima vez que for às compras.

CompetiçãoQuando chega um Dia sem IVA ou Black Friday e se sabe que há descontos excecionais, para um determinado número de artigos e por um tempo limitado, cria-se nos consumidores um certo sentimento de competição, de ter que estar, para conseguir aquele artigo, para ganhar. O conselho é: não veja as compras como uma competição ou um jogo, mas sim como um meio para comprar algo que lhe faz falta. Há uma pergunta que pode ajudar: compraria aquele artigo se não estivesse em saldos?

Ideia de poupança“Poupe 50%”, “Já poupou 121€ em talão”.Há cada vez mais frases deste tipo não só em tempo de saldos, mas ao longo de todo o ano. Quando o consumidor lê, automaticamente foca-se na poupança e não no gasto. Mas a realidade não é bem essa. O consumidor não pode poupar, quando na realidade está a gastar. Está é a gastar menos do que gastaria se não houvesse saldos, promoções, cupões ou talões.

TerapiaFazer compras continua a ser, para muitos consumidores, um escape. Há estudos que comprovam que fazer compras pode deixas as pessoas três vezes mais felizes. Mas está por provar se este sentimento é apenas momentâneo ou se tem efeitos mais profundos. No entanto, mesmo que estas conclusões sejam factuais, a verdade é que esta felicidade tem um preço e o consumidor deve estar consciente disso. O conselho é: de cada vez que estiver a precisar de compensar sentimentos de tristeza, procure encontrar outro escape que não seja ir às compras. Correr, ouvir música, ler um livro, comer um doce, escrever, começar um projeto, estar com amigos.

Agora que conhece alguns dos fatores que mais influenciam as compras e que o fazem gastar dinheiro, só tem de tentar ser mais racional, controlar estes instintos e contrariar os truques das marcas.

E pode começar já: se tem um dinheiro extra guarde-o numa conta poupança, diferente da que usa no dia a dia. “Olhos que não veem, coração que não sente”.