Investir

Há 200 milhões de euros para empresas inovadoras que precisem de capital de risco

1 min

Apoios vão ser decididos pelos investidores. Aos 200 milhões de euros de dinheiro público vão somar-se mais 200 milhões de investimento privado.

O Estado vai investir 200 milhões de euros num programa de coinvestimento para empresas inovadoras que precisam de capital de risco. O anúncio foi feito na segunda-feira pelo primeiro-ministro, António Costa, durante a sessão de abertura da Venture Summit, no âmbito da Web Summit, o maior evento de tecnologia do mundo que está a decorrer em Lisboa.

Conheça melhor o que está por trás do "programa 200 M, coinvest with the best" [investir com os melhores]:

1. Um dos objetivos é o de apoiar as empresas nacionais que, por falta de financiamento, têm recorrido a apoio estrangeiro para fazer crescer os seus projetos.

2. Quer colmatar a dificuldade que muitas empresas inovadoras têm em encontrar financiadores que estejam capacitados e aptos a perceber os novos desafios e oportunidades de negócios, trazendo dinheiro de fora.

3. É o Estado que vai injetar os 200 milhões de euros, mas quem decide a sua aplicação são os investidores internacionais ou nacionais. É a eles que caberá a escolha das melhores empresas e dos melhores projetos, necessitados de assegurar capital de risco para poderem arrancar e
desenvolver a atividade.

4. Além dos 200 milhões de euros de financiamento público, o programa prevê 50% de financiamento privado, perfazendo, assim, 400 milhões de euros para investimento em empresas de base científica e tecnológica.

5. O programa recorre a fundos comunitários e a comparticipação nacional, instrumentos financeiros previstos no programa 2020.

6. O programa 200 M, coinvest with the best  estará aliado ao programa Semente, previsto no Orçamento do Estado para 2017, que inclui um benefício fiscal destinado aos "business angels" que invistam até 100 mil euros numa empresa. Poderão deduzir o investimento em sede de IRS.