Crédito

Crédito habitação: não é só o spread que conta

2 min

Vai comprar casa? Nunca peça apenas uma proposta e guarde quatro dicas para aprender a comparar propostas de crédito habitação.

Já tem várias propostas de crédito habitação na mão? Então saiba como compará-las seguindo quatro conselhos do Banco de Portugal.

1.Não olhe apenas para o spread

Numa altura em que muitos bancos estão a oferecer spreads mais baixos no crédito habitação, o BdP avisa: um crédito com um spread mais baixo não sai necessariamente mais barato. Na hora de comparar os custos com o crédito habitação o cliente tem de ponderar outras taxas como a TAEG - a taxa anual de encargos efetiva global e o MTIC -  o montante total imputado ao consumidor. As propostas que tiverem a TAEG e o MTIC mais baixos serão, de acordo com o supervisor, as que terão menos custos para o cliente.

2.Crédito com aquisição de outros produtos?

Antes de aceitar qualquer proposta de crédito verifique se está prevista a aquisição de outros produtos como seja: cartões de débito, crédito ou seguros. Ainda que o spread possa ser competitivo, as “vendas associadas facultativas” também podem implicar custos para o cliente. E, se um dia este quiser desistir dos produtos contratados, a instituição de crédito pode aumentar o spread de acordo com o que estiver no contrato.

3.Atenção ao prazo do empréstimo

Faça as contas sabendo que empréstimos com prazos mais longos têm prestações mais baixas, mas a longo prazo ficam mais caros ao cliente. Quer pagar menos por mês ou a longo prazo? Faça contas, peça simulações e analise-as bem. A escolha é sua, mas que seja informado.

4.Qual a melhor taxa de juro: variável, fixa ou mista?

Num empréstimo com taxa variável as prestações variam de acordo com as alterações às taxas de juro. Se a taxa de juro é fixa, então a mensalidade vai ser sempre a mesma ao longo do empréstimo. Nos empréstimos a taxa de juro mista, o contrato de crédito tem um período de taxa fixa, seguido de um período em que a taxa é variável. Como nem os especialistas se entendem quanto à evolução das taxas de juro, quem não quiser estar exposto ao risco da variação, talvez prefira pagar um pouco mais no início e saber exatamente quanto vai pagar até ao fim do empréstimo.

Uma coisa é certa: comprar uma casa é como um casamento. Exige alguma preparação e ponderação. Afinal, pode ser para a vida.