Poupar

Como parar de discutir sobre dinheiro e enriquecer em conjunto

3 min

O dinheiro é um tema capaz de provocar ruturas. Mas há formas de evitar discussões que podem abrir feridas difíceis de sarar.

O dinheiro pode tornar-se um tema complicado e uma fonte de conflitos na vida a dois. Muitas vezes, as discussões sobre dinheiro podem, mesmo, ser um motivo para a separação ou para o divórcio. Mas existem formas de contornar os desentendimentos. Basta conhecer alguns princípios relevados por uma pesquisa conduzida pelo site Money.

1. Quanto mais uma mulher ganha, mais se envolve nas finanças. O estudo revelou que quanto mais alto for o salário da mulher em relação ao salário do marido, mais esta se envolve no planeamento financeiro, em especial, na tomada de decisões sobre poupanças a longo prazo e investimentos, duas tarefas tradicionalmente realizadas pelo homem. Para evitar discussões, o ideal é deixar quem mais se interessa pela gestão do dinheiro fazê-lo, mas é importante que as decisões sejam tomadas a dois.

2. O parceiro que mais ganha tem tendência a definir a gestão do dinheiro. Nos casais em que um dos parceiros ganha consideravelmente mais do que o outro, quem mais ganha acaba por tomar decisões em relação à gestão do dinheiro. É importante não esquecer que os dois podem ter opiniões relevantes acerca das decisões a tomar, porque nem sempre quem mais ganha tem mais capacidade de gestão.

3. Os maridos são mais felizes com mulheres que ganham tanto ou mais do que eles. A hamonia no casal depende muito do quão próximo é o nível de rendimentos dos dois. E, ao contrário do que se possa pensar, o estudo do site Money conclui que isto é especialmente verdade no caso dos homens. Ou seja, os homens não querem necessariamente ganhar mais do que as parceiras.

4. As mulheres que ganham mais do que os maridos sentem mais stress. O facto de ganhar mais e contribuir com mais dinheiro para economia doméstica pode ser uma maior fonte de stress para as mulheres. Muitas também trabalham mais horas fora de casa e isso pode criar instabilidade na vida doméstica. Para evitar sentir que está em falta em casa, opte por pagar todos os serviços domésticos que puder.

5. Discutir despesas é difícil para os dois membros do casal. Independentemente de quem mais ganha, nenhum dos membros do casal gosta especialmente de discutir com detalhe onde gasta o dinheiro e com quê. Tanto homens como mulheres gastam dinheiro em coisas que o outro pode considerar fúteis ou supérfluas e isso pode dar azo a conflitos. Para evitar discussões, deve criar-se uma lista de desejos em conjunto. Mas também é preciso deixar ao outro alguma autonomia para gastar no que quiser, dentro de alguns limites.

6. É importante definir papéis e objetivos financeiros. Muitos casais pensam que estão de acordo em muitas coisas, mas em termos de planos financeiros, nem sempre é assim. À pergunta sobre o que mais o preocupa no futuro em relação às finanças do casal, nem sempre os dois respondem ter as mesmas preocupações. É importante conversar e definir metas e objetivos comuns.

7. Muitos parceiros não são transparentes um com o outro. O estudo do site Money conclui que cerca de um quarto dos casais não conta tudo o que deve ao outro em relação a questões de dinheiro. Muitas vezes a razão pela qual um dos parceiros esconde onde gasta o dinheiro tem a ver com o desejo de evitar uma possível discussão. Uma forma de evitar esta situação é a de definir objetivos financeiros conjuntos, clarificar a forma de pagar as despesas comuns e, também, deixar que a outra pessoa tenha autonomia para tomar algumas decisões sobre dinheiro.