Poupar

Como ir aos festivais de verão sem gastar muito dinheiro

3 min

Julho assinala o arranque da temporada dos festivais de verão. Saiba o que fazer para não perder as suas bandas favoritas e conseguir cumprir um orçamento sem exorbitâncias.

A época dos festivais de Verão está a começar. É tempo de fazer contas aos recursos de que dispõe e aos custos que têm de ser suportados para ir assistir aos espetáculos das suas bandas favoritas.  Para começar, pode consultar o cartaz, os preços do bilhetes e as datas dos diferentes eventos que animam esta época do ano por todo o país. 

Feitas as escolhas, convém fazer alguma pesquisa sobre os festivas que tenham sido objeto da sua escolha. Pode encontrar algumas promoções específicas que possibilitem gastar menos dinheiro nos transportes, por exemplo. Tudo isto porque o preço das entradas pode representar, só por si, um esforço financeiro pesado.

Desloque-se em equipa Se quer ou tem de ir de carro, reúna um grupo de amigos. Podem encher um veículo e dividir as despesas com os combustíveis, aspeto que não é negligenciável quando está em causa a deslocação para um daqueles festivais que decorre mais longe de casa. Outra vantagem, se vários dos "festivaleiros" tiverem carta, é a de repartirem as responsabilidades da condução. 

Peça boleia Se quer reduzir a zero os custos com transportes, experimente ir à boleia até ao recinto do festival. É um desafio com resultados incertos porque nem toda a gente gosta de abrir a porta para a entrada de estranhos no carro, sobretudo por questões de segurança, mas nunca se sabe se não consegue conquistar a boa vontade de alguém que vai para o mesmo local e ainda tem espaço dentro do automóvel. Até pode ser uma oportunidade de fazer novos amigos.

Transportes públicos são uma boa solução Recorrer aos transportes públicos é uma saída com várias vantagens. Caso não tenha com quem partilhar os encargos com os combustíveis do transporte individual, sai, seguramente, mais barato usar o comboio ou a camioneta. Além disso, há promoções específicas associadas a alguns dos festivais, resultantes de parcerias entre as transportadoras e os organizadores dos eventos, pelo que vale a pena pesquisar se alguma se encaixa nas suas necessidades. Por fim, não terá de se preocupar com estacionamento do carro, nem com os respetivos custos.

Faça desporto e não polua É isso mesmo. A bicicleta pode constituir uma excelente alternativa para ir até a um festival, no caso de a distância a percorrer não ser exagerada para o seu treino físico. Não se esqueça que as bicicletas são meios de transporte cobiçados e fáceis de fazer "desaparecer" no caso de não estarem devidamente seguros através de um cadeado.

Levar comida? Comprar comida nas zonas de restauração dos festivais talvez não seja a melhor solução para quem queira poupar uns trocos. O melhor, em alternativa, é levar alguma comida para os recintos ou fazer uma boa refeição antes de entrar nos locais programados para os espetáculos. Mas, atenção: informe-se previamente se, no evento a que vai assistir, a organização permite a entrada de alimentos no recinto e que alimentos. Há festivais em que esta situação é simplesmente proibida. O mesmo sucede com as bebidas. Regra geral, não é autorizada a entrada de bebidas engarrafadas, pelo que convém também, confirmar com a organização se não quer ver-se forçado a deixar material à porta.

Dormidas? Que tal acampar? Cada festival tem as suas regras, mas muitos oferecem um espaço para fazer campismo àqueles que compram um passe para assistir a todos os dias de espetáculos. Há outras soluções, na hotelaria tradicional, e experiências de parcerias em que as pessoas podem ficar instaladas em casas particulares. Vale a pena, também, consultar o Get a Fest, onde é possível encontrar pacotes integrados que asseguram o bilhete, o transporte e o alojamento. Faça as contas. Nalguns casos, pode mesmo compensar.