Poupar

Como escolher o tarifário mais adequado às suas necessidades

3 min

O telemóvel representa, nos dias de hoje, uma despesa para a maioria dos portugueses, quer seja por motivos pessoais ou profissionais. Mas, em alguns casos, esta despesa poderia ter um valor mais baixo se tivesse ajustado às necessidades, o que nem sempre acontece. Reduzir 5 ou 10 euros por mês pode significar uma poupança anual entre 60 a 120 euros.

Para começar, deve perceber que esta decisão não significa apenas encontrar o tarifário mais barato. A maioria das operadoras oferecem chamadas e SMS gratuitas para números da mesma rede. Portanto, deve olhar para as suas faturas de telemóvel antigas e ver para que números mais liga. Se encontrar uma operadora que é mais utilizada pela maioria dos seus amigos ou familiares, deve escolher essa.

Mas este é apenas o primeiro passo. Mais importante ainda que saber qual a operadora que traz mais vantagens, é saber que tipo de perfil tem como utilizador. Se tem um telemóvel apenas para uso ocasional, existem tarifários que não o obrigam a pagar mensalidades excessivas. Se tem um ‘smarthpone’ e adora navegar na Internet, tem pacotes que lhe permitem estar sempre “ligado” sem esgotar o seu saldo.

Veja em que perfil de utilizador se encaixa e faça a sua escolha:

  • Uso ocasional: se não precisa de estar sempre atento ao seu telemóvel e só o utiliza mais para receber chamadas, a melhor escolha é um tarifário sem grandes complicações e em que o serviço é igual em qualquer situação. Quase todas as operadoras têm pacotes sem carregamento obrigatórios em que as SMS e chamadas custam o mesmo para todas as redes. Se não usa muito o seu telemóvel, não faz sentido pagar qualquer tipo de mensalidade.

  • Uso moderado: aqui o segredo é olhar para as suas últimas faturas de telemóvel e perceber a que operadoras pertencem os números para os quais liga mais vezes. Muitas operadoras permitem, com o pagamento de uma mensalidade não demasiadamente cara, falar gratuitamente para números dentro da mesma rede. Neste caso, é simplesmente uma questão de perceber a operadora que a maioria da sua rede de amigos e família usa e escolher essa.

  • Uso intensivo: se utiliza o seu telemóvel de uma forma intensiva, a sua escolha torna-se mais simples. Se, por um lado, vai pagar uma mensalidade mais cara, em troca deixa de se preocupar com o número para que está a ligar ou se está a ficar sem saldo. Os tarifários de todas as operadoras são quase iguais, com mensalidades que oferecem chamadas e SMS gratuitas e bons pacotes de Internet. O que muda aqui são os “extras” que cada um inclui, como chamadas gratuitas para outros países europeus ou um pacote de Internet maior. Só tem de olhar para cada oferta e escolher qual desses “extras” prefere.

  • Preferência pelas SMS: a grande maioria dos pacotes para utilizadores mais intensivos tendem a incluir SMS gratuitas. Mas se só quiser enviar SMS e não precisa de todos os outros “extras” incluídos, existem pacotes com mensalidades muito mais baratas e que oferecem SMS mas não têm chamadas gratuitas.

  • Preferência pela Internet: tal como acontece com os SMS, a maioria dos pacotes mais caros de cada operadora tende a oferecer uma boa quantidade de navegação ‘online’. Mas existem pacotes separados que são uma opção mais económica para quem gosta de navegar livremente na Internet mas não usa o telemóvel para muito mais do que isso.

Depois de perceber qual o seu perfil de consumidor, já pode olhar para as várias ofertas no mercado e fazer uma escolha mais acertada. Deve também aproveitar ferramentas como o simulador de tarifários da Anacom, que o ajuda a perceber quais são os melhores pacotes, depois de explicar as suas preferências de preços e onde gasta mais dinheiro com o telemóvel.