Dinheiro

Burlas com SMS: 5 dicas para se proteger

1 min

Há cada vez mais burlões a fazerem-se passar por empresas fornecedoras de serviços que utilizamos habitualmente. Saiba como reagir.

Muitas empresas fornecedoras de serviços que utilizamos habitualmente - luz, gás, telecomunicações, supermercado, banco - enviam mensagens escritas para o telemóvel (SMS) a anunciar prazos de pagamento, descontos, promoções e outras comunicações importantes para os clientes. A questão é que existem cada vez mais burlões a fazerem-se passar por estas empresas com o intuito de enganar os consumidores.

Em 2019, o Portal da Queixa recebeu 5580 reclamações de pessoas que foram lesadas à conta destes esquemas fraudulentos - mais 14,3% do que em 2018. E só nos dois primeiros meses de 2020 já foram registados 1118 casos de burlas por SMS/telemóvel - um aumento de 42,6% face ao mesmo período do ano passado. 

Saiba como reagir a estes esquemas em cinco passos:

  1. Pesquise na Internet

Uma simples pesquisa no Google pelo número de telemóvel de onde recebeu a SMS poderá revelar a identidade ou mesmo encontrar relatos de outros consumidores que já tenham sido enganados. Experimente.

  1. Não dê os seus dados

Não responda ao SMS, não siga links e muito menos dê os seus dados. Alguns SMS admitem a possibilidade de responder com “STOP” com o intuito de parar aquele tipo de comunicações, mas pode ser mais um esquema fraudulento de ficar com os seus dados, além do número de telemóvel.

  1. Bloqueie o número

É uma solução simples. Vai ao seu telemóvel, seleciona o número de onde recebeu a SMS e escolhe a opção bloquear. Garantidamente não vai receber mais mensagens escritas desse contato, no entanto, o seu número já pode ter sido partilhado numa rede de burlas, por isso, esta solução pode não ser suficiente. 

  1. Contate a sua operadora de telecomunicações

Denuncie o caso à sua operadora e pergunte qual a melhor forma de proceder. Deverão saber aconselhá-lo como proceder nestes casos.

  1. Faça queixa 

Em caso de fraude, furto ou roubo deve fazer queixa diretamente na Polícia ou por via eletrónica através do Ministério da Administração Interna. 

Se as SMS assumirem contornos de bullying ou violência online, veja aqui como se proteger, à sua família ou aos seus filhos.