Investimentos

Ainda tem dúvidas sobre o 5G?

5 min

Neste artigo vamos esclarecer algumas das maiores questões levantadas pelos portugueses como o que é o 5G, quais são as suas vantagens e o que precisa para usufruir desta nova geração.

Data de publicação 2021 M12 2

O 5G é uma nova geração de rede móvel: a quinta geração. É mais intuitivo perceber o que isto significa se olharmos para a evolução na rede móvel até agora. O 2G trouxe a possibilidade de trocar SMS e enviar imagens; o 3G fez da internet uma rede móvel e o 4G tornou acessível o streaming e as videochamadas. O 5G é o próximo passo. Reunimos algumas das mais frequentes dúvidas sobre o 5G e damos-lhe as respostas.

Quando será lançado o 5G em Portugal?

Portugal está atrasado no lançamento do 5G em relação a alguns países pioneiros, como a Coreia do Sul ou a China, e outras regiões como a América do Norte e boa parte da Europa. Em Portugal, o lançamento deverá acontecer entre as últimas semanas de dezembro e o início de 2022.

Depois do leilão regulado pela ANACOM, seis operadoras conquistaram o direito a investir em 5G no país. A NOS, a Altice, a Vodafone, a Nowo, a Dixarobil e a Dense Air vão poder fornecer 5G aos seus clientes. Neste momento falta-lhes pagar as licenças para operar com 5G.

Quais vão ser as vantagens do 5G?

No dia a dia — ao usar o telefone ou o tablet — a vantagem mais evidente será a velocidade do download. O que demorava minutos, leva agora escassos segundos, uma vez que o 5G será no mínimo 10 vezes mais rápido do que a presente geração. Na prática, um filme de uma hora, por exemplo, pode ser descarregado em dez segundos, enquanto que, atualmente com o 4G demora sete minutos. Alguns especialistas avançam mesmo que o 5G pode chegar a ser 100 vezes mais rápido do que o 4G, em condições específicas.

A capacidade do 5G também será muito superior à do 4G: é o fim da falta de rede em sítios ou eventos com muitas pessoas ligadas. A largura de banda do 5G é maior e por isso suporta mais aparelhos ligados ao mesmo tempo.

Outra vantagem prende-se com a latência, ou seja, o tempo que medeia a saída da informação de um equipamento e chegada ao destino. Hoje a latência é evidente, por exemplo, nos videojogos ou em videochamadas. Com 5G a latência é reduzida ao ponto de fazer tudo isto em tempo real. A receção de dados em tempo real abre possibilidades tão inovadoras como a cirurgia remota ou cidades inteiras em que o trânsito se regula autonomamente e os carros conduzem-se sozinhos, sem necessidade de intervenção humana.

O 5G traz vantagens para as empresas?

Naturalmente, as empresas vão beneficiar da velocidade, grande capacidade da rede e reduzida latência. Mas há outras vantagens: uma só rede “física” pode ser dividida em diferentes redes virtuais e isto faz com que as empresas possam criar uma espécie de redes próprias e adaptadas às suas necessidades.

Tudo isto significa, no dia-a-dia, uma maior estabilidade das comunicações à distância — as chamadas não caem a meio, por exemplo — o que é essencial para o trabalho remoto, uma realidade para muitas empresas.

A capacidade de transmitir mais informação em menos tempo e em tempo real também vai impulsionar a realidade aumentada e a forma como pode auxiliar o trabalho. Por exemplo, será possível, com óculos de realidade aumentada olhar para uma máquina e ter acesso aos seus manuais de instruções e a ajuda técnica para uma reparação mais rápida, sem a necessidade de deslocação de um profissional.

A realidade aumentada será, além disto, um objeto de muitas empresas, já que as possibilidades são praticamente infinitas — muitas ainda estão por inventar. Já imaginou visualizar um móvel que pensa comprar, em tamanho real, na sua sala? Será uma possibilidade do comércio online.

Por fim, o 5G vem estimular a Internet das Coisas (IoT), ou seja, a ligação digital entre diferentes objetos. Por exemplo, a comunicação entre armazéns e prateleiras ou o stock e as lojas passa a ser mais eficiente e inequívoca.

Já é possível usufruir de todos os benefícios do 5G?

Não, demorará algum tempo até conseguirmos conhecer e usufruir de todos os benefícios do 5G. A GSMA é uma associação que reúne as operadoras móveis de todo o mundo e estima que, em 2025, metade das comunicações móveis serão feitas através do 5G — as restantes continuam no 4G ou 3G.

Há ainda muito trabalho para desenvolver em termos de segurança e legislação para que carros que se conduzem sozinhos ou cirurgias transatlânticas possam passar de possibilidades técnicas a realidades democratizadas.

O que vou precisar para usufruir do 5G?

Não basta que o 5G seja lançado em Portugal. Cada utilizador precisa de reunir outros dois elementos. Em primeiro lugar é imprescindível um equipamento (telemóvel ou tablet, por exemplo) que suporte o 5G. Nem todos o fazem, mas se comprou um telemóvel recentemente é provável que já preveja esta nova geração. No mercado, há já modelos topo de gama e outros mais económicos.

Além disto, é necessário que tenha um tarifário que preveja o 5G e, assim que a cobertura de 5G for uma realidade em Portugal, não precisará de fazer nada para começar a usufruir da rede: a transição é automática.

Não tenho um telemóvel 5G, vou deixar de ter acesso aos dados móveis?

De modo nenhum. O 5G vai conviver com o 4G, por exemplo, o que significa que não precisará de fazer uma transição forçada para equipamentos mais recentes — pode perfeitamente continuar a usar internet móvel na velocidade que já usa.

A convivência das duas gerações móveis será particularmente visível ao transitar entre zonas com problemas de cobertura: verá que o 5G se desliga e dá lugar ao 4G ou 3G de forma espontânea. O 5G regressa também automaticamente quando volta a uma zona com cobertura.

Há ainda muitas possibilidades por explorar com esta nova geração de rede móvel, mas uma coisa é certa: o futuro das comunicações remotas é mais rápido e em tempo real o que torna as distâncias cada vez mais curtas.