Poupar

5 maneiras de ensinar o seu filho a ser financeiramente independente

2 min

O ano escolar está prestes a começar e, como ele, as decisões dos pais sobre como deixar os seus filhos gerir o dinheiro. A semanada ou a mesada é um passo importante, mas há outros modos de incutir os melhores ensinamentos sobre finanças.

Os pais têm o maior poder de influenciar os futuros hábitos financeiros das crianças. Por isso, dedique algum tempo a pensar como introduzir novos conceitos financeiros ao seu rebento e, mais importante, a concretizar os ensinamentos.

Deixamos-lhe cinco sugestões para adiantar trabalho. Conheça-as.

1. A importância de poupar

Por vezes, um “não” é a melhor forma de ensinar. Quando o seu descendente lhe pedir alguma coisa mais cara, como um brinquedo, explique-lhe que o dinheiro não é infinito e que é preciso decidir prioridades. Por exemplo, diga-lhe: “Não podemos comprar agora este boneco porque temos de guardar o dinheiro para as próximas férias.” A criança compreenderá a separação entre a gratificação instantânea e o gozo futuro.

2. Deixe-o errar

Se a criança já tiver pequenas poupanças, é relevante não a impedir de tomar passos financeiros, mesmo que errados. Pergunte-lhe: “Tens dinheiro suficiente para essa compra? E não precisas do dinheiro no futuro?” Mesmo que desconfie que seja um gasto descabido, deixe-a assumir a decisão. No futuro, se se confirmar que foi uma má opção, explique-lhe os porquês.

3. Premeie pelo trabalho

Ganhar dinheiro através do trabalho é uma realidade que deve passar rapidamente para o seu descendente. Remunere os seus filhos pelos trabalhos extraordinários que façam no agregado familiar, mesmo que já recebam semanada ou mesada. Se ainda for muito novo para receber dinheiro, pode premiar os trabalhos (mesmo que seja apenas colorir uma ilustração) com algum doce. Ao “quero um caramelo”, responda “ganhas um caramelo se me fizeres um desenho colorido”.

4. Use mealheiros

Desde a Grécia Antiga, pelo menos, que se usam mealheiros para poupar dinheiro, mas ainda hoje faz sentido usar este equipamento para o pequeno aforro. Explique ao seu filho que pode ter tantos mealheiros quantos os seus objetivos (dinheiro disponível para gastar, férias, brinquedos, presentes para outros, poupanças futuras sem destino), embora deva começar com poucos.

5. Introduza o endividamento

Às vezes, uma semana ou uma mesada não é suficiente para um gasto extraordinário. Quando esta oportunidade surgir, apresente ao seu descendente a possibilidade de endividamento. “Empresto-te este dinheiro, mas nas próximas quatro semanas só receberás metade da semanada”, por exemplo. Quando a maturidade do seu filho for suficiente, introduza o conceito dos juros: a antecipação de uma semana ou mesada implica um pagamento adicional.