Poupar

15 dicas para reduzir a fatura da eletricidade

4 min

Pequenas alterações de hábitos em casa podem permitir grandes poupanças na conta da eletricidade. Veja algumas dicas para conseguir poupar nesta fatura.

Data de publicação 2021 M05 7

Reduzir a conta de eletricidade. Quem nunca pensou nisso? Apagar as luzes, desligar aquecedores, trocar as lâmpadas por outras mais económicas. Estes pequenos gestos podem refletir-se numa grande poupança. Se pensar que uma redução de 15 euros na fatura mensal traduz-se numa poupança de 900 euros em cinco anos, talvez comece a pensar em alterar o seu comportamento.

Se não sabe como e por onde começar siga algumas sugestões que poderá começar a pôr em prática:

1. Procure ajustar a potência elétrica da sua casa às suas necessidades e não deixe de verificar qual a melhor tarifa dentro de cada operador. Pode encontrar uma oferta melhor.

 

2. Compre apenas eletrodomésticos que consumam pouca eletricidade. Tenha atenção à etiqueta de eficiência energética, sobretudo a classe A (a mais eficiente). As categorias vão até à G (menos eficiente). Pode conseguir uma poupança de dezenas de euros por ano ao trocar um eletrodoméstico antigo - um frigorífico, por exemplo -, por outro recente de categoria A.

 

3. Substitua as lâmpadas. Aposte em lâmpadas LED, que não só consomem muito menos (uma diferença de várias dezenas de euros se considerar todas as luzes que tem em casa), como também duram bastante mais. A diferença de preço é compensada em menos de um ano.

 

4. Evite deixar os aparelhos eletrónicos em modo de repouso (standby), pois continuam a gastar energia. Televisão, esquentador, microondas - e principalmente máquina de café. Basicamente, todos os equipamentos que emitam uma luz ou tenham um pequeno ecrã digital que se mantenha ligado, estão a consumir energia. Estima-se que esse consumo pode chegar a 10% do total de uma fatura mensal. Pode investir em tomadas inteligentes, que permitem cortar a energia num horário pré-definido ou através de uma app, ou então usar tomadas com interruptor.

 

5. Desligar as luzes quando não são necessárias. O simples desligar no botão pode poupar centenas de watts diariamente. Além disso, também pode comprar um regulador de intensidade ou então remover fisicamente as lâmpadas de um candeeiro que tenha várias.

 

6. Opte por iluminação orientada para o que está a fazer. Por exemplo quando está a ler um livro, em vez de iluminar toda a divisão. No exterior da casa, coloque sensores para que as luzes apenas acendam na presença de alguém.

 

7. Aposte num ar condicionado eficiente. Gasta bastante menos do que aquecedores elétricos no inverno ou ventoinhas potentes no verão. Mas evite ‘exagerar’ no conforto. Ou seja, quanto mais fria definir a temperatura no verão e mais quente no inverno, mais energia vai gastar. E às vezes uma camisola a mais ou menos faz toda a diferença.

8. Não abra muitas vezes o frigorífico. É um grande consumidor de eletricidade, por isso deve ter sempre o termómetro ajustado com as indicações do fabricante e quando for ao frigorífico - para cozinhar, por exemplo -, tente tirar logo tudo o que necessita de uma vez só. Cerca de 20% do consumo global do frigorífico é causado pela abertura das portas.

 

9. Aproveite ao máximo a luz natural, para aquecer a casa durante os dias de sol de inverno. Aposte no isolamento das janelas e portas, que impeça que o calor saia durante a noite. No verão, manter os estores fechados durante as horas de maior calor é uma boa forma de evitar ligar o ar condicionado por muito tempo.

 

10. Aposte em luzes com sensor. Nas áreas comuns dos prédios é possível colocar luzes temporizadas ou com sensores que acendem à passagem de pessoas, acautelando-se que a iluminação não está ligada desnecessariamente.

 

11. Reduza a utilização do microondas para descongelar alimentos. Para isso, basta tirar a comida atempadamente do congelador. E evite usar esse equipamento para aquecer água ou comida para várias pessoas. Um jarro elétrico para a água e um tacho no fogão para a comida é mais rápido e eficiente para uma família.

 

12. Lave a roupa a 40º em vez de 60º. Só esta alteração permite poupar 55% de energia.

 

13. Utilize o programa mais económico da máquina de lavar a loiça. Os programas mais intensos têm temperaturas altas e demoram quase o dobro do tempo, gastando mais eletricidade e também mais água, muitas vezes sem a loiça necessitar disso.

 

14. Desligue o forno alguns minutos antes do final da cozedura. A temperatura será suficiente para terminar a cozedura dos alimentos, poupando bastante energia.

 

15. Sempre que possível, seque a roupa ao sol e ao vento. Nem sequer são precisas contas para compreender o que poupa, uma vez que está a trocar a utilização de um aparelho elétrico por um recurso natural. Além disso, aumenta a durabilidade das peças de roupa, que não são sujeitas a temperaturas elevadas.

 

Verifique quanto tem gasto, em média, nas faturas de luz anteriores. Depois de implementar o seu plano de redução de custos e começar a adotar uma estratégia de poupança em energia, compare nas faturas seguintes quanto é que conseguiu reduzir. Vai ficar surpreendido com o impacto que pequenas alterações no dia-a-dia podem ter.