Dinheiro

10 mitos sobre como poupar combustível

6 min

Com o preço dos combustíveis a subir é normal que se recorram a todas as dicas para poupar na hora de atestar. Mas será que ao proceder assim está mesmo a reduzir os gastos? Descubra alguns dos mitos mais comuns.

Data de publicação 2021 M11 16

Se há uma verdade inquestionável para todos, neste momento, é que o preço dos combustíveis está a aumentar e os portugueses não param de fazer contas de cada vez que vão abastecer o veículo.Segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), os preços da gasolina e do gasóleo, sem impostos, aumentaram 5,4 e 5 cêntimos por litro, respetivamente, do segundo para o terceiro trimestre deste ano. E ainda que o preço médio de venda (PMV) praticado em Portugal seja inferior ao de Espanha, a verdade é que a carga fiscal no nosso país leva a que o valor final pago pelo contribuinte português seja superior ao do país vizinho (1,67 e 1,42 €/l respetivamente).

De acordo com o boletim publicado por aquela entidade sobre o preço dos combustíveis nos 27 países da União Europeia (UE-27), no terceiro trimestre de 2021, Portugal foi o quinto país onde a gasolina 95 simples esteve mais cara, sendo que o PMV com impostos no nosso país é mais alto do que a média da UE-27. Os Países Baixos foi onde a gasolina esteve mais cara e na Bulgária mais barata. No que diz respeito ao gasóleo simples, o nosso país ocupa o sexto lugar do ranking, com o peso fiscal a justificar a prática de preços 19 cêntimos por litro mais altos do que em Espanha. Na UE-27, foi também na Bulgária que o gasóleo esteve mais barato e na Suécia mais caro.

Para fazer face a este aumento de preços, o governo criou apoio através do AUTOvoucher. No entanto,muitas são as dicas que circulam para ajudar os consumidores a poupar nos combustíveis. Mas será que esses conselhos se confirmam na prática? Descubra aqui dez mitos sobre o consumo de gasolina e gasóleo e comece a poupar de verdade:

Mito #1 – Deixar o carro ligado consome menos combustível do que reiniciá-lo

Se é daquelas pessoas que costuma deixar o carro ligado em paragens curtas, com a desculpa de que assim poupa combustível, esqueça. Ao fazê-lo, não só está a poluir o ambiente como também a gastar mais gasolina ou gasóleo. Segundo algumas estimativas, deixar o carro ligado, mas parado, pode gastar entre 1,5 e 3 litros de combustível por hora, dependendo do veículo em questão. Atualmente, os automóveis estão equipados com injetores de combustível e ignição eletrónica, o que leva a um menor desgaste de cada vez que o motor é acionado.

Mito #2- Andar em ponto morto não gasta combustível

Ainda que lhe pareça contraditório, a verdade é que circular em ponto morto consome mais combustível do que com uma mudança engatada. A maioria dos veículos já possui injeção eletrónica, responsável pela mistura de ar e combustível utilizada pelo motor, a qual deve ser o mais eficiente possível. O que acontece é que este sistema interpreta o ponto morto como um sinal de que o motor está a desligar-se, pelo que lhe injeta mais combustível. Mas quando o carro está em movimento, com uma mudança colocada e sem acelerar, o sistema interrompe a injeção do combustível. Assim, da próxima vez que estiver numa descida, pense duas vezes antes de colocar o veículo em ponto morto. Até porque, se não travar com o motor, o carro aumenta de velocidade devido à inércia e isso contribui para um maior desgaste dos travões quando tiver de os usar.

Mito #3 – Carros com mudanças manuais consomem menos combustível

Pode ter sido verdade no passado, mas atualmente já é um mito. Com o desenvolvimento tecnológico, a eficiência energética dos carros com transmissão automática foi aperfeiçoada e hoje é idêntica, ou até superior, à das versões com transmissão manual do mesmo modelo.

Mito #4 – A função Cruise Control permite poupar combustível

Esta afirmação não é um mito completo, mas para que tal aconteça é preciso que o condutor esteja sempre atento ao percurso e desative a função nalgumas ocasiões. Explicando melhor, o Cruise Control é uma espécie de piloto automático, usado para estipular um limite de velocidade, sobretudo em viagens longas. Para cumprir essa velocidade predeterminada, o motor vai fazendo os ajustes necessários, acelerando e desacelerando sem intervenção do condutor. Porém, esta opção é apenas eficiente em pisos planos e em que não há necessidade de travagens bruscas ou acelerações intensas. Em estradas com desníveis acentuados, o Cruise Control obrigará a fazer ajustes constantes para manter a velocidade, o que acaba por consumir mais combustível.

Mito #5 – Carros pequenos são mais económicos e gastam menos combustível

Mais uma afirmação que pode já ter sido verdadeira, mas que já não se aplica nos dias de hoje. Os avanços tecnológicos têm sido de tal ordem, desde a conceção do motor até ao design do veículo, passando pelos materiais utilizados, que aquilo que determina a eficiência já não é o tamanho do automóvel, mas outras especificações, que devem ser consideradas na hora de trocar de veículo.

Mito #6 – Aquecer o carro antes de arrancar

Não só é irritante para as outras pessoas, como não tem vantagem nenhuma no que diz respeito à poupança de combustível. Os veículos atuais ficam prontos a ser conduzidos segundos depois de a ignição ser acionada, ou seja, não precisam de aquecer. Todavia, o motor não deve ser submetido a uma carga extrema até que alcance a sua temperatura normal, o que se consegue simplesmente através da condução.

Mito #7 – Acelerar antes de desligar

Na sequência do ponto anterior, também não há benefício nenhum em acelerar o carro antes de o desligar. Na verdade, tal é até contraproducente, pois os sistemas instalados nos veículos mais recentes respondem a este comportamento injetando mais combustível. Além disso, a quantidade de gasolina ou gasóleo não utilizada fica por queimar no interior dos cilindros.

Mito #8 – Abrir as janelas para evitar o ar condicionado poupa combustível

Sim, é verdade que usar o ar condicionado pode ter como efeito um aumento no consumo de combustível, mas se para não o utilizar acabar por abrir as janelas enquanto circula a alguma velocidade, então o melhor é repensar a estratégia. Sabe-se que as janelas abertas acima dos 80 quilómetros por hora aumentam o consumo até 5%, isto porque a aerodinâmica fica comprometida e, como consequência, aumenta o gasto de combustível.

Mito #9 – Usar combustível premium permite poupar

É outro mito que por vezes se ouve, mas que não tem qualquer fundamento. A verdade é que, a não ser que haja uma recomendação específica do fabricante do veículo para a utilização de combustível premium, ou tenha sido detetada alguma incompatibilidade com o uso de gasolina ou gasóleo simples ou low-cost, não há nenhuma vantagem evidente em termos de poupança no uso de combustíveis mais caros.

Mito #10 – Conduzir a baixas rotações ajuda a reduzir consumos de combustível

Também é uma ideia habitual, mas que pode ter o efeito contrário ao pretendido. Embora haja uma relação direta entre a mudança a que se conduz, as rotações por minuto (rpm) e o dispêndio de combustível (ou seja, quanto maior for a mudança e menor o número das rotações por minuto, menos combustível se gasta), também é verdade que, nalgumas situações, pode verificar-se o contrário. O mais indicado é o carro circular entre as 2 mil e as 3500 rpm se for a gasolina, e entre as 1500 e as 3 mil rpm se for a gasóleo.

E agora que já eliminou da sua cabeça algumas ideias erradas sobre poupança de combustíveis, prepare-se para poupar a sério da próxima vez que se fizer à estrada.