Poupar

10 dicas para férias low cost

6 min

Quer ir de férias mas o orçamento é reduzido? Já pensou em alternativas para estas férias mas a ginástica financeira está mesmo no limite? Conte connosco, vamos dar-lhe as alternativas para o merecido descanso.

O Verão é, por excelência, a época das férias grandes. Quer fique em Portugal ou saia do país, saiba que mesmo em férias - e mesmo que o orçamento seja reduzido -, é possível descansar. Para que tudo corra bem, veja que orçamento tem disponível e só depois escolha o destino. Depois, só tem que aproveitar. Boas férias!

1. Defina o plano de férias e o orçamento com antecedência - Quanto lhe sobra do orçamento mensal para gastar nas férias? Para poder começar a planear as férias, o mais importante é estabelecer quanto pode gastar, por quantos dias e onde quer ir. Pensar cedo nestas variáveis vai ajudá-lo a aproveitar promoções, a pedir orçamentos e a procurar alternativas, se o orçamento não chegar.

2. Troque de casa - Tal como Cameron Diaz e Kate Winslet no filme “The Holiday”, também você pode ser protagonista de uma história de férias com troca de casas. No site Troca Casa e, dando a sua casa a troca, pode escolher alojar-se em qualquer parte do mundo, na casa de outra pessoa. A troca pode incluir, além da casa, coisas utilitárias como o jardim, a garagem, o carro ou a mota. Basta combinar isso com os donos da sua “casa de destino”.

O líder mundial de aluguer de casas é o Home Away, que tem versão em português, com milhares de casas em todo o mundo, em cidades como Buenos Aires, Londres, Nova Iorque até Freixo de Espada à Cinta.

3. Partilhe casa com amigos - Dividir a renda de uma casa maior, do que a que precisa para a sua família, com alguns amigos com quem se dê bem é uma vantagem: podem fazer turnos para ficar com as crianças, dividir tarefas e ir às compras à vez. Além disso, todos os custos são divididos, renda incluída. No Custo Justo, por exemplo, é possível procurar por características desejadas e necessárias. Numa pesquisa rápida, um T4 em Albufeira com jardim e piscina aquecida (que pode dar para quatro casais com filhos pequenos), custa 250€/dia. O alojamento numa semana de férias dividida pelos quatro casais custaria cerca de 440€ por casal (110€/pessoa, sem incluir os filhos). Pode procurar alternativas em sites como o Sapo ou o Airbnb.

4. Partilhe carro - Respeita o mesmo princípio da partilha de casa, com todas as vantagens que tem associadas. Partilhar carro é uma boa maneira de poupar em combustível e portagens, Segundo o site Via Michelin, o percurso entre Lisboa e Faro custará pouco mais de 54 euros (22,20 euros de portagens e 32 euros de combustível). Obviamente, estes valores são preços médios de viagem, que vão variar de acordo com o consumo do veículo em questão e a velocidade a que fizer as viagens. Se dividir os custos da viagem num carro com 5 lugares, a viagem custa 10,8 euros/pessoa. Se uma das famílias tiver um carro de sete lugares que seja suficiente para levar as duas famílias, o preço da viagem deverá ser ainda mais baixo.

5. Leve comida para a praia - Um dos pontos mais delicados na gestão do orçamento para as férias é a alimentação. A melhor maneira de gerir o que come na praia - e o dinheiro que se gasta com essa comida - é levar marmita. Fruta, água, sandes, saladas: difícil vai ser decidir, com a variedade de opções existentes. Compre uma bolsa que conserve o frio e prepare todos os produtos com antecedência: lave as frutas, ponha os iogurtes no frio até à hora de sair. Depois, resta-lhe ir comprar pão fresco de manhã e preparar as sandes. A opção será, sem dúvida, mais económica do que comer num restaurante. Uma refeição completa pode custar cerca de 15 euros (os preços dos restaurantes de praia, sobretudo na época alta, tendem a aumentar), o que poderia significar um gasto de 60 euros para uma família de quatro. Por metade do preço, ao levar refeições a partir de casa, pode preparar um verdadeiro banquete na praia.

6. Compre comida longe da praia - Se optar por não preparar a comida para levar, saiba que a opção mais económica para comer no local das suas férias, será sempre aquela que esteja mais longe do areal. A vista para o mar e o cheiro a maresia são fatores que deve excluir das suas prioridades na hora de escolher o restaurante para almoçar na praia; isto se quiser que os seus gastos não ultrapassem o orçamento estipulado.

7. Aproveite os pacotes família - Se não pode fugir aos meses de Verão para tirar férias, por causa da escola dos miúdos, há pacotes vantajosos para quem viaja e vai de férias em família. Por exemplo, no Pestana Combos, um resort na ilha de Porto Santo, as crianças até aos 12 anos não pagam: o pacote custa 95 euros/pessoa e inclui alojamento em quarto duplo para duas pessoas, pequeno-almoço, almoço, snacks, jantar, bar aberto 24 horas e livre acesso a todos os serviços do Pestana Porto Santo (a oferta é válida de 31 de julho a 26 de outubro). No Tivoli, todas as reservas feitas no site do grupo hoteleiro têm direito a 10% de desconto no preço total.

8. Faça atividades gratuitas - Alugue livros na biblioteca em vez de os comprar, leia o jornal no café logo de manhã, use as bicicletas gratuitas nas grandes cidades, faça as aulas grátis na praia e informe-se nos pontos de turismos sobre outras atividades gratuitas que podem tornar as suas férias mais ativas e divertidas. É possível poupar nas férias, aproveitando tudo o que os locais têm de gratuito. E, se não houver nada do género, a praia ainda é livre. Antes de planear os dias aproveite para visitar a agenda do Lifecooler e ver que programas podem interessar à família.

9. Poupe nos transportes - Muitas das praias mais populares e com melhores acessos localizam-se perto de serviços e atrações turísticas. Confirme sempre se a praia para onde vai tem serviço de transportes públicos: este deve ser um fator a ter em conta na hora de somar as despesas. Lembre-se também que, sempre que as distâncias dispensem transportes, pode fazê-las a pé.

10. Fuja à rotina - Aproveite as férias para fazer coisas que não faz no dia-a-dia: considere acampar. Os parques de campismo são sempre uma opção mais económica, ainda que exijam uma série de questões logísticas prévias como a tenda ou, por exemplo, alugar uma autocaravana ou roulotte que vão permitir-lhe viajar sem marcar lugar para ficar, nem cumprir horários rígidos de refeições e viagem. Pode encontrar os parques de campismo de todo o país em sites como o Camping.Info e o Roteiro Campista, ou alugar uma autocaravana na Orbitur.

Poupar nas férias está nas suas mãos. Organizar o descanso com antecedência e sem pressas é o primeiro passo para gastar apenas aquilo que está dentro do seu orçamento.

 

Artigos relacionados: